Combate ao Comércio ilegal une Prefeitura e Sindilojas Caxias

A diretoria do Sindilojas Caxias foi recebida, nesta quinta-feira (05.07), em audiência com o prefeito Daniel Guerra com o objetivo de buscar uma solução para o crescimento desenfreado do comércio ilegal em Caxias do Sul. A presença constante dos ambulantes  nas principais ruas do centro da cidade motivou o Sindilojas Caxias a retomar o assunto e reivindicar uma solução.  
O presidente interino (1º vice-presidente) do Sindilojas Caxias, Gilmar Rossi, a diretora Márcia Costa, a gerente executiva, Lisandra De Bona, e o assessor jurídico, Lukas Olivieri Nunes, participaram da audiência. Após a apresentação do tema em pauta, o prefeito convidou também para participar da discussão a secretária Municipal do Urbanismo (SMU), Mirangela Rossi, e o secretário de Segurança Pública e Proteção Social, Clóvis Juvenal Pacheco.
No encontro, o Sindilojas Caxias apresentou a preocupação gerada pela insegurança em transitar no centro da cidade, bem como o reflexo para a economia caxiense trazido pelo escoamento das compras para as cidades vizinhas. Nos últimos 15 dias, as reclamações dos comerciantes das lojas localizadas, especialmente, na Avenida Júlio de Castilhos, têm sido intensificadas devido à obstrução das calçadas e crescente sensação de insegurança para os clientes transitarem no centro. Foi constatado também que os produtos vendidos pelos ambulantes estão mais diversificados, envolvendo pirataria, através da venda de CDs e camisetas da Seleção Brasileira, e produtos falsificados, bem como roupas e tênis. 
Uma parceria entre o poder público e o Sindilojas Caxias para um resultado mais efetivo foi alinhada na reunião: “É preciso fazer um trabalho coletivo e integrado para resolver essa situação de combate à ilegalidade, que gera um desequilíbrio social gigantesco, prejudicando o comerciante que se esforça para manter o negócio em funcionamento”, afirmou o prefeito municipal Daniel Guerra. Ele lembrou que recebeu a embaixadora do Senegal, Fatoumata Binetou Correa, que disse ser contra o comércio ilegal. Naquele encontro, ela disse: “Em Dakar, (capital do Senegal) também é proibido o comércio na rua ilegal. Temos o direito de viver em outro país, mas não se pode desrespeitar as leis locais”, afirmou.
Em conjunto com os secretários do Urbanismo e Segurança, o prefeito se comprometeu que serão realizadas ações efetivas, progressivas e permanentes em uma operação continuada em respeito a quem está na legalidade. Além disso, se for constatado que comerciantes dão guarida aos ambulantes, o poder público vai notificar, implicando, inclusive, na perda do alvará de funcionamento. 
A entidade representativa do comércio varejista defende que é preciso somar esforços em defesa do consumo consciente: “Estamos defendendo os comerciantes e também a nossa cidade no combate a um comércio criminoso que prejudica a qualidade de vida de todos”, afirmou o presidente interino (1º vice-presidente) do Sindilojas Caxias, Gilmar Rossi. O município é lesado pelo comércio ilegal na arrecadação de impostos porque o comércio ilegal não contribui para o desenvolvimento do município diante do comércio legalizado. O Sindilojas Caxias se comprometeu em realizar uma campanha de conscientização e valorização pelo comércio legal e convidou o poder público para participar como apoiador.
O telefone 156, do “Alô, Caxias”, e também o site da Prefeitura de Caxias do Sul estão disponíveis para receber denúncias sobre o comércio ilegal. Uma nova reunião para avaliar os resultados das ações foi programada para ocorrer no Sindilojas Caxias no prazo de 30 dias.